Fibromialgia

Tratamento para remissão da dor crônica

É uma síndrome que se caracteriza pelo desenvolvimento de dor crônica em várias partes do corpo, principalmente nas articulações e tendões. Essa patologia está relacionada com o sistema nervoso central e atinge, em 90% dos casos, mulheres entre 35 e 50 anos.

  • Dor generalizada;
  • Fadiga;
  • Sono perturbado;
  • Falta de disposição e energia;
  • Síndrome do cólon irritável;
  • Cefaleia;
  • Distúrbios emocionais e psicológicos.

O tratamento da fibromialgia requer uma abordagem medicinal integrativa, avaliando todos os fatores de risco associados e uma investigação mais aprofundada dos sintomas.

Inicie o tratamento com soluções de medicina integrativa com a Jovial Clínica. Clique aqui e agende sua consulta.

Remissão da dor crônica

Ninguém gosta de sentir dor, afinal de contas, essa sensação desagradável e penosa acomete regiões e terminações nervosas do corpo humano. Aqui na Jovial Clínica, cada paciente é assistido de forma personalizada, para que situações de dores que afetam diretamente sua rotina sejam diagnosticadas e devidamente tratadas, chegando à remissão. Sejam brandas, moderadas ou severas, as dores dificultam a vida e podem ser um reflexo do corpo não saudável, manifestando-se por meio de doenças como FibromialgiaHérnia de DiscoLER/DORTLúpusArtrite Reumatoide, entre outras.

Solução para dor crônica: é possível?

 

Se você sofre com dor crônica, seja por fibromialgia, endometriose, cefaleia ou qualquer outra origem, você sabe bem o quanto isso limita a nossa vida. A dor é um sinal de que algo não vai bem, e se descobrirmos essa origem, é possível voltar a ter uma qualidade de vida similar à de antes da dor.

Remissão da dor

Quando investigamos e tratamos a dor, chegamos na zona de “cura”, que é a zona de “remissão da dor”. Se a causa é uma doenâ crônica, significa que ela não tem cura, mas por vezes é possível eliminá-la completamente se chegamos à remissão.

Médicos investigam, tratam e cuidam doenças crônicas, a cura não é possível. O que é possível é viver normalmente respeitando seu corpo e seguindo orientações para ter uma vida saudável. Cuidar da saúde de forma integrativa é o melhor caminho para atingir a remissão da dor crônica.

Correção da dor

Dor crônica tem uma causa, um princípio, um meio e um fim. Investigar a causa é sucesso para tratamento. Possuímos aqui na Jovial profissionais, ferramentas e técnicas para ajudar a investigar as origens a dor, atuar sobre a causa e ajudar você a conduzir a sua dor. Marque sua avaliação!

Referências: Kreling, Maria Clara Giorio Dutra, and Cibele Andrucioli de Mattos Pimenta. “Prevalência de dor crônica em adultos.” Revista Brasileira de Enfermagem 59.4 (2006): 509-513.

de Góes Salvetti, Marina, and Cibele Andrucioli de Mattos Pimenta. “Dor crônica e a crença de auto-eficácia.” Revista da Escola de Enfermagem da USP 41.1 (2007): 135-140.

Saiba quais são as sete doenças mais relacionadas com a fibromialgia

Você já ouviu falar em fibriomialgia? Essa síndrome provoca dores fortes e contínuas em diversos pontos do corpo humano e atinge de 1 a 5% da população, sendo que 80% dos casos acontecem em mulheres. Ela é ainda mais frequente em mulheres e geralmente se apresenta concomitantemente com outras condições.

As principais doenças relacionadas com a fibromialgia são:

1- Enxaqueca;
2- Depressão e ansiedade
3- Síndrome das pernas inquietas
4- Dor pélvica
5- Síndrome do intestino irritável
6- Doenças autoimunes
7- Obesidade.

Diversas correlações podem ser traçadas entre a fibromialgia e essas condições. No caso da enxaqueca, por exemplo, um distúrbio cerebral acaba por afetar a produção de substâncias essenciais para o bom funcionamento do corpo, como serotonina e noradrenalina.

Outras condições fortemente associadas à fibromialgia são a depressão e ansiedadeAcredita-se que mais da metade das pessoas com fibromialgia apresentam problemas mentais, psicológicos e emocionais. Isso deve-se também à deficiência de serotonina e norepinefrina.

Outra condição bastante associada à fibromialgia é a insônia, além da Síndrome das pernas inquietas, que são 11 vezes mais comuns nesses casos. De 30 a 70% das pessoas acometidas por ela também apresentam dificuldade para dormir e uma vontade irresistível de mover as pernas durante a noite. A dor pélvica também predomina nas pessoas acometidas pela síndrome.

Síndrome do intestino irritável também possui bastante prevalência nos pacientes fibromiálgicos, bem como as doenças autoimunes. Entre elas, a que mais se manifesta em pacientes com fibromialgia é o Lúpus. Outro problema associado à síndrome é a obesidade, que acaba sendo agravada pela vida sedentária que muitos pacientes com fibromialgia levam. Além dos distúrbios que a obesidade pode provocar, o sobrepeso sobrecarrega as articulações e provoca ainda mais dor aos pacientes.

Fique atento (a) ao seu corpo e ao perceber alguns desses sintomas ou dessas doenças relacionadas com a fibromialgia, procure um médico de sua confiança.

Clauw, J. Daniel. Fibromyalgia a Clinical Review. Disponível em: https://jamanetwork.com/journals/jama/article-abstract/1860480
Acesso em 30 de julho de 2019

Proia, P. Amato, A. Contrò, V.
Lo Monaco, A. Brusa, J. Brighina, V. Messina, G. Relevance of lactate level detection in migrane and fibromyalgia. Disponível em: https://www.pagepressjournals.org/index.php/bam/article/view/8202/8097
Acesso em 30 de julho de 2019

Bonanni, E. Schirru, A. Di Perrib, M. C. Bonucelli, U. Maestri, M. Insomnia and hot flashes. Disponível em: https://www.maturitas.org/article/S0378-5122(19)30079-9/fulltext
Acesso em 30 de julho de 2019

Obesidade é fator de risco para Dor Crônica

Você sabia? Obesidade é fator de risco para Dor Crônica

 

A obesidade é hoje um dos grandes desafios à saúde no mundo. Ela tem alta morbidade e apresenta influência no aparecimento de várias outras enfermidades, como doenças cardiovasculares, câncer e diabetes. Estudos recentes sugerem que a obesidade é também um fator de risco para a dor crônica, se relacionando tanto com complicações funcionais quanto psicológicas.

Diversos estudos científicos têm comprovado que, em todas as faixas etárias, quanto maior o grau de obesidade, maiores são as queixas de dor, principalmente de lombalgia, dores de cabeça, fibromialgia / dor crônica generalizada e dor abdominal. Esses estudos sugerem que atualmente mais de 60% das mulheres com fibromialgia apresentam pelo menos excesso de peso, o que reforça a tese de que a obesidade é um fator de risco para a dor crônica.

Além disso, as pesquisas científicas comprovam que a relação entre dor e obesidade é uma via de mão dupla. Ou seja, assim como a obesidade é um fator de risco para a dor crônica, a dor crônica também influencia no aparecimento da obesidade, muito por conta da limitação funcional, do sedentarismo e do efeito colateral do uso de medicamentos.

O aparecimento simultâneo da dor crônica com obesidade pode sugerir outros problemas associados, como a síndrome metabólica, o sono perturbado e a depressão. Sendo assim, o tratamento adequado para os casos de dor crônica / fibromialgia deve levar em consideração uma avaliação integral do paciente, trabalhando principalmente a questão do sobrepeso.

Você costuma sentir dores e tem excesso de peso? Agende uma consulta na Jovial Clínica.

Referências: Okifuji and Hare. The association between chronic pain and obesity. J Pain Res. 2015; 8: 399–408.
World Health Organization Obesity and Overweight: Fact Sheet 311. 2015. Available from: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs311/en/#.
Ogden CL, Carroll MD, Kit BK, Flegal KM. Prevalence of childhood and adult obesity in the United States, 2011–2012. JAMA. 2014;311(8):806–814. [PMC free article] [PubMed] [Google Scholar]
Guh DP, Zhang W, Bansback N, Amarsi Z, Birmingham CL, Anis AH. The incidence of co-morbidities related to obesity and overweight: a systematic review and meta-analysis. BMC Public Health. 2009;9:88. [PMC free article] [PubMed] [Google Scholar]